Buenos Aires

Programão de domingo em Buenos Aires: Feira de San Telmo

Feira de San Telmo - Buenos Aires

Programão de domingo em Buenos Aires: Feira de San Telmo

Vou eu falar que feira é programão para domingo. Você pensa: “ela enlouqueceu”. Mas vou te explicar: não se trata de uma simples feirinha. A feira de San Telmo é um acontecimento cultural e histórico que vem marcando desde os anos 1970 um dos bairros mais tradicionais de Buenos Aires.

A ideia de criar a feirinha era celebrar o amor pela cidade portenha. Mas o amor foi tanto que acabou perdurando até os dias de hoje na feira mais famosa de Buenos Aires e que recebe MILHARES (sem exagero nenhum!) de visitantes a cada domingo. Não é um simples programa. É um programa obrigatório, especialmente, para quem vai pela primeira vez à cidade.

Sobre o passeio

A boa é aproveitar o domingo de manhã para ir caminhando pelo bairro até a feirinha. Andando pela Calle Bolívar, paralelela à Defensa, onde já tem feirantes esperando, você consegue pegar um pouco de tranquilidade para saborear e tentar entender um pouco do bairro.

San Telmo já foi bairro de gente rica e os prédios que hoje precisam de uma reforma, já foram luxuosos e muito bem cuidados. A gente rica foi espantada para outras áreas da cidade depois de uma epidemia de febre amarela. Atualmente, San Telmo resguarda preciosidades da história de Buenos Aires com seus antiquários, casas de tango tradicionais e galerias de arte.

Antiquário - San Telmo - Buenos Aires

Um dos antiquários de San Telmo

A feira mesmo, a oficial, fica bem ali na Plaza Dorrego. Digo oficial porque a feira de San Telmo que acontece na Plaza é coisa séria, sendo fiscalizada pelo Museu da Cidade, com mais de 200 expositores fixos. Lá você acha todo tipo de antiguidades: botões e garrafas antigas, porcelana, prata fina, funyis (chapéus usados pelos dançarinos de tango),discos de vinil, gramafones e cositas desse tipo. Coisas bacanas para quem curte um vintage… E o negócio é tão regulamentado que não é permitido vender mercadorias pós-anos 70, minha gente! Aqui o foco é na antiguidade MESMO.

Antiguidades da Feira de San Telmo - Buenos Aires

Sou apaixonada por esses aparelhos de telefone…

E a antiguidade não fica restrita aos objetos disponíveis para serem comprados. Andando ao redor da Plaza Dorrego, a gente vê artistas de rua velhas guardas dançando tango e convidando a galera ao redor para dar uns passos. E nesses detalhes você percebe que a feira não é só comprinhas, mas uma ótima oportunidade para conhecer a cara de Buenos Aires, sua história e sua cultura!

Artista de rua - Feira de San Telmo - Buenos Aires

Artista de rua dançando com uma menininha

Feira de San Telmo - Buenos Aires

Podiam me chamar para trabalhar com eles, não?

Dando uma voltinha pela Calle Humberto I, a gente encontra itens diferentes como a barraca da mocinha que trabalha miniaturas e as coloca sobre o fósforo talhado. Tem como não achar isso, no mínimo, inusitado? Por essa área, é possível dar uma olhadinha na pequena Paróquia de San Telmo, que tem missa acontecendo no domingo de manhã.

Fósforos talhados - Feira de San Telmo - Buenos Aires

Os fósforos talhados que quase levei, mas custavam $70!

Paróquia de San Telmo - Buenos Aires

Paróquia de San Telmo

Lógico que a feira tem a sua ramificação informal, aproveitando o sucesso da Plaza Dorrego com suas antiguidades. Seguindo para a Calle Defensa até a Plaza de Mayo, tem mais de 1 km de barracas e feirantes oferecendo de tudo: artigos de couro, roupas, artesanato, pinturas, bijuterias e por aí vai. Além disso, ainda tem mais artistas fantasiados, bandinhas de tango, todo mundo querendo contar com a generosidade do turista.

Feira da Calle Defensa - Buenos Aires

Ramificação da Feira pela Calle Defensa

Chapéus e lenços - Feira de San Telmo - Buenos Aires

Parecem lenços, mas são como echarpes tecidos de linha. Muito lindos! Preço? $ 80.

Seguindo pela Calle Defensa, na segunda esquina depois da Plaza Dorrego, a gente avista o Mercado de San Telmo, que também tem lá suas antiguidades e coisinhas como frutas, verduras e até carnes. Já que estamos aqui, por que não uma passada nesse prédio centenário?

Continuando até a esquina com a Calle Chile, a gente se depara com a simpática Mafalda sentada num banco de praça bastante concorrido pela galera. Bem ali, na esquina onde morava o Quino, seu criador. Aliás, meu povo, eita lugar para ter artigos da Mafalda! #adoro

Aventais da Mafalda - Feira de San Telmo - Buenos Aires

Fofuras de aventais da Mafalda

Depois da Mafalda, agora na esquina com a Avenida Belgrano está a Basílica Nuestra Señora del Rosario e o Convento de Santo Domingo. Essa igreja do século 18 chama a atenção pela chama eterna que fica acesa, sinalizando o mausoléu de Manuel Belgrano, o autor da bandeira nacional argentina.

Basílica Nuestra Señora del Rosario - Buenos Aires

Basílica Nuestra Señora del Rosario e o Mausoléu de Manuel Belgrano

Daí a três esquinas, você está na Plaza de Mayo, outra cheia de coisa bacana para fazer e que rende assunto para outro dia.

Dicas

– Chegue cedo! A feira costuma encher depois de meio-dia. Além disso, durante a primavera e o verão, você vai pegar menos sol na cabeça.

– Fique ligado no meio das multidões: tem batedores de carteira na espreita, infelizmente.

– Reserve uma manhã de domingo para visitar a feira e se perca por ela. Por mais que não esteja muito a fim de fazer compras, é uma ótima experiência, já deu para perceber, né?

– Resista aos impulsos consumistas, reflita e compre só o que for usar. A feira tem muitas opções e, quem se deixa levar, gasta uma nota lá. Aliás, na Plaza Dorrego, as pechinchas acabam sendo poucas e raras, mas vale dar uma olhadinha. Costumo dizer que às vezes uma boa foto, traz a recordação das lembrancinhas, sem ter que colocar a mão no bolso. 😛

– Combine o passeio com a visita ao Mercado San Telmo e aproveite para descansar tomando um café exclusivo no Coffee Town ou fazendo um lanche num dos postos de lá.

– Além das barracas da feira, a Plaza Dorrego e a Calle Defensa são cheias de antiquários perfeitamente visitáveis durante a semana também. Quem não puder visitar a feira num domingo, ainda pode fazer esse passeio tranquilo durante a semana e sentir os ares de San Telmo.

Funcionamento

Feira de San Telmo

Todos os domingos, das 10h às 17h.

Mercado de San Telmo

Todos os dias, das 10h às 20h. Alguns postos fecham ao longo da semana, sendo domingo o dia com mais abertos (mas mais cheio também). Por que será?

Paróquia de San Telmo

Dias Horários
Segunda a Sexta 8h às 11h

17h às 21h

Sábados 17h às 21h
Domingos 8h30 às 21h

Basílica Nuestra Señora del Rosario e Convento de Santo Domingo

Segunda a sexta – 15h às 19h (visitas guiadas).

Como chegar

Endereço: Plaza Dorrego, Calle Humberto I e Calle Defensa, San Telmo.

Caminhando

Da Plaza de Mayo à Plaza Dorrego, caminhando pela Calle Bolívar dá 20 minutos de caminhada. Um bom exercício para a manhã de domingo, não?

Ônibus

O ponto mais próximo fica depois da esquina da Calle Bolívar com a Calle Estados Unidos, próximo ao Mercado de San Telmo. Lá passam as linhas 22A, 24A, 24B, 28A, 28B, 28C, 28L, 29A, 29B e 29C.

#dicadeviajante

Os ônibus não estão mais aceitando dinheiro em Buenos Aires, nem as famigeradas moedinhas! Sim, aprendemos isso da pior forma. Enfim, se for usar o ônibus, compre um cartão Sube em alguma Loteria Nacional.

Metrô

A estação mais próxima é a San Juan (linha C), que fica a mais ou menos 1 km de caminhada. De lá, você precisa seguir a Calle Bernardo de Irigoyen e virar à direita na Avenida San Juan, seguindo esta avenida até a Calle Bolívar. Daí, só virar à esquerda nela que você vai encontrar a Calle Humberto I. Olhando à direita já vai avistar a Plaza Dorrego.

A outra estação mais próxima é a Plaza de Mayo (linha A), que dá mais ou menos a mesma distância se for caminhando pela Calle Defensa.

Táxi

A partir de Puerto Madero, a corrida dá uns $ 40-50 e dura uns 10 minutos. Se for da Plaza de Mayo, o valor vai para $50-55 e leva o mesmo tempo (os táxis cobram por distância percorrida!).

Custos

Na Plaza Dorrego em si, há poucas pechinchas. Os fósforos talhados que achei super diferentes custavam a partir de $ 70 e os echarpes coloridos tecidos em linha custavam $ 80.

Mas nas andanças pelas ramificações da feira consegui alguns negócios que considerei bons. Exemplos? Uma camiseta da Mafalda por $ 40, dois cintos de couro para o meu marido por $ 150 e uma carteira de couro para mim por $ 120 (sim, couro mesmo! com cheirinho e tudo!).

Como se vestir

Vá a vontade, com sapatos confortáveis pois você vai bater perna!

Público alvo

Sem restrições! Se for com crianças ou idosos, prefira ir o mais cedo possível, por ter menos gente.

Mapa


* Todos os valores estão em pesos argentinos

dayanalole Administrator

Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

Deixe um comentário

© Copyright 2014-2017 Lolepocket. Todos os Direitos Reservados.