Andando por Aracaju, você vai perceber que a onda sustentável das bikes pegou por aqui. Tanto pegou que, em 2014, foi criado o serviço das Caju Bikes. Através dele, você consegue comprar passes mensais por R$ 10 ou diários por R$ 5 e, através do app para o celular ou pelo telefone 4003-9891, libera sua bike em qualquer uma das 20 estações que ficam entre a Orla da Atalaia e o Centro. Livre para pedalar por 60 minutos contínuos, podendo pegar a bike quantas vezes quiser durante o dia.

Estação Mirante - Aracaju
Caju Bikes

A regra é a seguinte: se ultrapassar os 60 minutos, você paga R$ 5 por cada 30 minutos adicionais. Depois de deixar sua bike em qualquer uma das estações, também deve dar um tempo de 15 minutos para pegar outra. Simples, barato e ótimo para o meio ambiente!

Então, depois de adquirir seu passe da Caju Bike, que tal passar o dia pedalando entre alguns dos principais pontos da cidade?

Provavelmente, você deverá estar hospedado na Atalaia, que é onde fica a principal área hoteleira da cidade. Bem ali na Av. Santos Dumont, há 4 estações: a da passarela do Caranguejo, Quadras, Oceanário e Praça de Eventos.

Liberando sua bike

Observe que ao lado do número da sua bike deverá haver, na maioria dos casos, um LED (uma luz pequena). Quando você liberar a bike, seja pelo app ou pelo telefone, esse LED vai piscar em verde quando estiver “ok” e a bicicleta será destravada. Mesmo se não tiver o bendito LED, você deverá ouvir a bike sendo destravada e, imediatamente, puxe-a. Se demorar, ela voltará a ficar travada.

Caju Bike - LED - Aracaju
LED que pisca para liberar Caju Bike

Caso não consiga destravar a bike, ligue para o 4003-9891, informe ao atendente o que aconteceu e peça para para liberar o seu passe. Assim, você pode refazer o procedimento e destravar a sua bike. O atendimento é rápido e só aconteceu de a gente precisar uma vez, que foi logo no primeiro acesso, porque Murphy sabe quando é a sua primeira vez!

Tour por Aracaju

Bike destravada, partiu passeio! Siga pela Av. Santos Dumont no sentido Farol, que é o contrário de quem vai para a Passarela do Caranguejo ou Oceanário. No caminho, você deverá ver à sua esquerda o Farol da Coroa do Meio ou Farol da Marinha, como alguns sergipanos chamam. Esse Farol fica aberto às visitações do público apenas em datas cívicas.

Farol da Coroa do Meio - Aracaju
Farol da Coroa do Meio

Nesse ponto, a Av. Santos Dumont acabou e você deve pegar a Rua Urbâno Neto, até o cruzamento. No cruzamento, atravesse a rua e pegue a ciclovia da Av. Mario Jorge Menezes Vieira. Cruzando o rio Sergipe, você está na Av. Beira Mar, pedalando pelo Calçadão 13 de Julho. Você vai perceber a mudança na arquitetura, com prédios mais luxuosos e modernos. O Mirante 13 de Julho, nosso segundo ponto do dia, está bem aí.

Deixe sua bike na estação (16 – Mirante) e aproveite para subir ao Mirante. Lá você vai se deparar com um mangue seco no meio da urbanização. Olhando ao longe, dá para ver, do lado direito, a Corôa do Meio e, novamente, o Farol, e do esquerdo, a cidade de Barra dos Coqueiros. O Mirante também costuma abrigar pequenas exposições, que mudam a cada 15 dias. Bom, agora é hora de voltar para a bike.

Mirante da 13 de Julho - Aracaju
Mirante 13 de Julho

Continue seguindo a Av. Beira Mar. Logo, você vê a ponte estaiada que liga Aracaju ao município de Barra dos Coqueiros. Nosso próximo ponto é o Museu da Gente Sergipana, que é um museu interativo onde há exposições temporárias (primeiro andar) e fixas (segundo andar), tudo relacionado à cultura local. Para isso, atravesse a rua e siga pela Rua Tenente Martinho Garcez ou pela Av. Barão Maruim. Chegue na praça Camerino e deixe sua bike na estação ali (7 – Praça Camerino).

Volte para o Museu da Gente Sergipana e divirta-se descobrindo as belezas da cultura de Sergipe, aprenda as receitas locais, conheça um pouco sobre a fauna e a flora, tudo interagindo com as atrações do museu. Depois disso, resgate a bike na estação da praça Camerino e continue pedalando pela orla do rio Sergipe.

Museu da Gente Sergipana - Aracaju
Barraca do Josivênio no Museu da Gente Sergipana

Logo, você encontra a Ponte do Imperador, um ancoradouro construído em 1860 para receber o navio de D. Pedro I. Na época, ele era de madeira. Hoje, depois dos processos de revitalização, já é de concreto. Dê uma parada aqui para admirar a vista do rio Sergipe e da Ponte estaiada que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros.

Ponte do Imperador - Aracaju
Ponte do Imperador

A essa hora, você já deve estar com fome. Continue margeando o rio, passando pelo Zé do Peixe, chegando ao Mercado Municipal. Em frente ao mercado, há uma estação (13 – Mercado) onde você pode depositar sua bike. Aqui, você pode ter um bom almoço com um preço bem camarada e ainda pechinchar boas comprinhas de artesanato no Mercado Antonio Franco, de especiarias no Mercado Thales Ferraz, e de frutas, castanhas e farinhas  no Mercado Governador Albano Franco.

#dicadeviajante

No Mercado Municipal Antonio Franco, você pode almoçar tanto no primeiro andar quanto no terraço. Recomendo ir para o terraço. O restaurante Caçarola tem uma boa vista do rio Sergipe e pratos regionais interessantes. Lá, funciona também o restaurante O Terraço que trabalha com comida a quilo (R$ 26,90/quilo) e vai ter algumas opções regionais e outras mais comuns.

Mercado Municipal Antonio Franco - Aracaju
Artesanato no Mercado Municipal Antonio Franco

Devidamente abastecido, você pode pegar a bike na estação do Mercado e pedalar no sentido de volta, no lado oposto da orla. Um pouco mais a frente, você encontra o Centro Cultural de Aracaju, que possui uma estação de Caju Bike na praça em frente (12 – Praça General Valadão). Este lugar, que antes funcionava como alfândega, foi inaugurado há pouco mais de um ano e tem várias atrações culturais gratuitas para a população: um cinema, o Teatro João Costa, o Museu Cidade de Aracaju Prefeito Viana de Assis com informações históricas sobre o governo da cidade, a Biblioteca Mário Cabral, a Sala de Cultura Popular Mestre Euclides onde é possível conhecer alguns bonecos do histórico grupo teatral sergipano Mamulengo de Cheiroso, e também uma área de exposições temporárias. A visita é guiada e tudo o que você precisa fazer para entrar é assinar o livro de visitas. Esse não é só um ponto turístico. É um lugar feito especialmente para os Aracajuanos que a gente tira uma lasquinha.:)

Centro Cultural de Aracaju
Exposição do Mamulengo de Cheiroso no Centro Cultural de Aracaju

Desse ponto, você resgata de novo a bike e segue para a Praça Almirante Barroso (estação 19 – Almirante Barroso), onde será a nossa próxima parada: o Palácio Museu Olímpio Campos. Esse palácio também possui sua visita guiada, em que você conhecerá um pouco sobre a evolução da cidade de Aracaju, as suas tragédias históricas e também todos os aposentos do antigo Palácio do Governo.

Palácio Museu Olímpio Campos - Aracaju
Palácio Museu Olímpio Campos

Aproveite para dar uma descansada admirando a vista da Praça Almirante Barroso e caminhe para a Catedral Metropolitana de Aracaju. Além de conhecer essa igreja centenária, você pode se deliciar com as comidinhas típicas e conhecer mais do artesanato de Sergipe nas barraquinhas nos arredores dela. Daqui é partir para o hotel para recuperar as forças para a noite.

Catedral Metropolitana de Aracaju
Catedral Metropolitana de Aracaju
Informações Práticas

Mirante 13 de Julho

Funcionamento Segunda a Sexta – 9h às 18h

Sábados – 9h às 13h

Domingos e Feriados – Fechado

Custo Gratuito

Museu da Gente Sergipana

Funcionamento Terça a Sexta – 10h às 16h

Sábados, Domingos e Feriados – 10h às 15h

Custo Gratuito
Estacionamento Gratuito
Acessibilidade Acesso ao segundo andar por elevador

Mercado Municipal

Funcionamento Segunda a Sábado – 10h às 17h

Domingos (algumas lojas) – 8h às 11h30

Custo Gratuito

Centro Cultural de Aracaju

Funcionamento Terça a Sexta – 9h às 17h

Sábados – 9h às 14h

Custo Gratuito

Palácio Museu Olímpio Campos

Funcionamento Terça a Sexta – 10h às 17h

Sábados e Domingos – 9h às 13h

Custo Gratuito

Catedral Metropolitana de Aracaju

Missas Todos os dias conforme horários divulgados no site da Arquidiocese
Custo Gratuito
Mapa

COMPARTILHAR
Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

14 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui