Um destino barato, de fácil acesso e não menos encantador que muita cidade famosa pelo Brasil. Às vezes, porque pouca gente fala de lá, a gente pensa “o que fazer em Belo Horizonte?” ou até “vale a pena ir?”. Vou te falar: vale, sim. E mais do que você imagina.

A capital mineirinha deu entrada para a bem-sucedida e visionária arquitetura de Niemeyer. Além disso, é um dos lugares com a maior concentração de bares do país, vários deles premiadíssimos pelo Comida di Buteco. Para completar o circuito, ainda é vizinha de Brumadinho, onde fica, nada mais nada menos, que o internacionalmente famoso Instituto Inhotim. E, para esse último, falo com sinceridade que Belo Horizonte é uma base bem mais interessante para passar a noite e com hotéis a preços bem mais em conta.

Se você está com pouco tempo na cidade, aqui está o nosso top 3 do que não pode faltar no seu roteiro.

Afinal, o que fazer em Belo Horizonte?

#1 Passar um dia na Pampulha

Ela foi eleita esses dias Patrimônio Mundial da UNESCO. Não é à toa: é aqui que ficam as maiores construções arquitetônicas de Beagá, bem nos arredores desse lago artificial de 18 km (sim, é artificial, mas nem parece!).

Igreja de São Francisco de Assis - O que fazer em Belo Horizonte
A Igreja de São Francisco é bem diferente, né? Merece o destaque!

Por ficar distante do centro de Belo Horizonte – conte em gastar uns R$ 50, se for de táxi – e ter bastante coisa para explorar, recomendo que reserve um dia para passar por aqui. Se não for possível, pelo menos metade desse tempo. Meio na correria, dá para conhecer o principal:

  • Igreja de São Francisco de Assis, com seus arcos parabólicos e painéis de azulejos portugueses de Portinari que mostram algumas cenas da vida do santo. Essa tá estampada em tudo que é cartão postal da cidade. Se for fora de horário de missa, é cobrada uma taxa de R$ 3 para manutenção do templo.
  • Casa do Baile, que já foi um salão de bailes de verdade, mas hoje em dia funciona como um espaço para exposições.  O que mais encanta é a sua área externa mesmo, com a passarela curva na beira do lago.
  • Museu de Arte da Pampulha, que já teve seus tempos de cassino, mas agora exibe obras de arte.

Tudo obra de Niemeyer, sob encomenda de Juscelino Kubitschek. Um prenúncio para um dia projetar Brasília. Aliás, pertinho de tudo isso fica a Casa Kubitschek, outra que teve o dedinho do arquiteto e foi a residência de fim de semana do ex-presidente.

Lago da Pampulha - O que fazer em Belo Horizonte
De boa pelo Lago da Pampulha

Você pode muito bem explorar a Pampulha alugando uma bike. Aliás, para quem curte uma atividade física, os arredores do lago são uma ótima opção. Inclusive, os belo-horizontinos aproveitam a pista para dar uma corridinha, caminhada ou andar de patins.

Para quem tiver mais tempo, pode esticar para uma visita ao Mineirinho e Mineirão, onde tem a opção de um tour guiado, além da oportunidade de conhecer o Museu Brasileiro do Futebol. Se essa não for a sua vibe, tem uma ideia mais verdinha e que vai render lindas fotos: o Parque Ecológico da Pampulha e seu Jardim Japonês.

Informações práticas

Local Endereço Custo Funcionamento Informações
Igreja de São Francisco de Assis Av. Dr. Otacílio Negrão de Lima, 3000 R$ 3, fora de horário de missas Terça a sábado e feriados, das 8h às 17h.

Visitas aos domingos, das 11h às 14h.

Missas aos domingos, 10h, e às terças, às 20h

(31) 3427-1644

[email protected]

Casa do Baile Av. Otacílio Negrão de Lima, 75 Gratuito Terça a domingo, 9h às 18h (às quintas funciona até as 21h) (31) 3277-7443
Museu de Arte da Pampulha Av. Dr Otacílio Negrão Lima, 16585 Gratuito Terça a domingo, 9h às 18h30 (31) 3277-7946
Casa Kubitschek Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4188 – Pampulha Gratuito Terça a domingo, 10h às 17h (31) 3277-1586

[email protected]

Mineirão Av. Antônio Abrahão Caram, 1001 R$ 20 (inteira)

Somente em dinheiro

Esplanada: todos os dias, 7h às 22h

Museu: Terça a sexta, das 9h às 17h (permanência até 18h). Sábados e domingos, das 9h às 13h (permanência até as 14h).

*Fechado entre 25/07/16 e 22/08/16 (Olimpíadas)

(31) 3499-4300
Parque Ecológico da Pampulha Av. Otacílio Negrão de Lima, 7111 Gratuito Terça a domingo, a partir das 8h30.

Fechamento conforme a época do ano: março a abril – 18h, maio a julho – 17h30, agosto a setembro – 18h e outubro a fevereiro – 19h.

Memorial Minas-Japão: Terça a domingo, das 9h30 às 11h30 e das 14h às 16h

(31) 3277-7439

 

#2 Explorar o Circuito Cultural da Praça da Liberdade

A praça em si já merecia uma chance de entrar no seu roteiro. Toda planejada junto com a construção da cidade, é fruto da inspiração nos Jardins de Versailles.

E, como se isso não bastasse, é o centro de um circuito cultural com 12 atrações: Arquivo Público Mineiro, Biblioteca Pública Estadual Luiz Bessa, Casa Fiat de Cultura, Cefart Liberdade, Centro Cultural Banco do Brasil, Centro de Arte Popular, Espaço do Conhecimento UFMG, Horizonte Sebrae, Memorial Minas Gerais Vale, Museu de Minas e do Metal, Museu Mineiro e Palácio da Liberdade. Ou seja, dá para passar bastante tempo passeando na região.

Mas, se isso não for possível para você, aqui estão os que não dá para perder:

Palácio da Liberdade

Ele fica em de frente para a praça, difícil de não notar. Atualmente, o governo não está mais aqui, hoje em dia está para os lados do aeroporto de Cofins, na Cidade Administrativa – também projetada por Niemeyer, mas é outra história.

Infelizmente, você vai ter que se contentar com uma foto do lado de fora, já o espaço está temporariamente fechado.

Palácio da Liberdade - O que fazer em Belo Horizonte
O Palácio da Liberdade, infelizmente tá fechado ultimamente

Memorial Minas Gerais Vale

Se só puder escolher um para entrar, escolha esse. Sem dúvida, é um dos museus que vai interessar até quem não é tão fã de história. Cada espaço com um jeito diferente de contar um pouco da cultura e da tradição do povo mineiro. E, mais um motivo para arriscar: a entrada é gratuita.

Sala "A fazenda Mineira" - O que fazer em Belo Horizonte
Uma sala mágica no Museu Minas Gerais Vale: A fazenda Mineira

O que mais vale a pena ver? O Panteão da Política Mineira, uma sala que fala da história da inconfidência mineira com quadros pendurados na parede onde os personagens ganham vida, dialogam como se fosse na época e fazem a gente se sentir no meio de um dos acontecimentos mais importantes da história do Brasil.

Depois dele, a sala que conta a História de Belo Horizonte, com suas lendas urbanas de fantasmas de moradores da cidade, tudo de um jeito interativo, com efeitos especiais e nada chato.

Museu Gerdau – Museu das Minas e do Metal

Já vai te chamar atenção por ser o prédio rosa nos arredores da Praça da Liberdade. É um museu, se é que se pode dizer assim, de última geração. Com uma exposição modernosa, ele fala do tema da mineração e da metalurgia.

Particularmente, fica mais interessante para as crianças. Até porque tem algumas atrações interativas dedicadas a elas.

Museu da Gerdau - O que fazer em Belo Horizonte
O prédio rosa

Centro Cultural Banco do Brasil

Visitar o Centro Cultural Banco do Brasil é sempre uma surpresa, já que as suas exposições estão sempre sendo renovadas. Mas, aqui a parada ganha um motivo a mais. A estratégia é ficar ali pela filial do Café com Letras, no pátio do CCBB, que é sempre uma boa pedida.

Centro Cultural Banco do Brasil - O que fazer em Belo Horizonte
O pátio do Centro Cultural Banco do Brasil, uma boa pedida para um café

Informações práticas

Local Endereço Custo Funcionamento Informações
Palácio da Liberdade Rua Thomé de Souza, 1332 Temporariamente fechado para visitações (31) 3217-9500
Memorial Minas Gerais Vale  Praça da Liberdade, s/n  Gratuito  Terça a domingo, 10h às 17h30 (às quintas até as 21h30)  (31) 3343-7317
 Museu Gerdau  Praça da Liberdade, s/n  Gratuito  Terça a domingo, 12h às 18h (às quintas até as 22h)

*toda última terça, até as 17h

 (31) 3516-7200
Centro Cultural Banco do Brasil  Praça da Liberdade, 450  Gratuito  Quarta a segunda, 9h às 21h  (31) 3431-9400

#3 Botecar

Sim, em Beagá, boteco vira verbo. O divertido é montar um circuito dos vencedores do Comida di Buteco e ir comprovar. Para saber sobre o evento e seus vencedores, só clicar aqui.

Quer saber onde os belo-horizontinos vão curtir a noite? Vá para os bairros de Savassi e Lourdes. As duas opções estão a distâncias curtas da Praça da Liberdade. A escolha só vai depender do gosto e do bolso do freguês.

Para botecar despretenciosamente durante o dia, fica a dica de partir para o Mercado Central. E, se esse for mesmo o seu negócio, ainda dá para combinar um tour em uma das cervejarias artesanais da cidade, como quem visita uma vinícola do sul.

Savassi

No Savassi, você vai encontrar opções de bares, boates e restaurantes para agradar a qualquer um. Alguns com estilo pub, outros com cadeirinhas na rua, outros mais normalzinhos mesmo.

O ponto de partida é a Praça Diogo de Vasconcelos ou, como muitos chamam, Praça da Savassi. Daqui, você já começa a ver opções para a sua noite. Os botecos mais famosos ficam nos arredores da Rua Antonio Albuquerque. Mas uma boa indicação é a outra filial do Café com Letras, que além de boa comida, traz uma programação cultural interessante.

Savassi - O que fazer em Belo Horizonte
Praça da Savassi, adorei!

Durante o dia, ainda dá para curtir umas comprinhas no Pátio Savassi, onde a gente acha também boas opções para almoço. Daí, destaco o Eddie Fine Burgers, uma hamburgueria estilosa de um feitio meio anos 50 e com pratos caprichosamente preparados. Aliás, que comida em Beagá não é?

Lourdes

A Rua Curitiba guarda os maiores segredinhos de Lourdes. O epicentro fica ali nos arredores da Marília de Dirceu. Os bares da área são mais refinados e, portanto, mais caros. Mas nada absurdo, pode ter certeza.

Para botecar, indico, sem dúvida nenhuma, o Bar Tizé. Sente em uma das suas mesinhas na rua e curta a noite em Lourdes. Vai ser um daqueles momentos de viagem que você vai querer lembrar.

Mas no bairro, também dá para achar ótimos restaurantes, inclusive com a boa mesa internacional. Especialmente nas noites de sexta e sábado, o negócio é reservar ou chegar cedo e rezar para ter a sorte de uma mesa livre, porque os melhores sempre ficam lotados.

Rokkon - O que fazer em Belo Horizonte
Comida japonesa no Rokkon

Para comida japonesa, espere ser muito bem atendido no Rokkon. Se você não dispensa uma boa carne vermelha, a opção muito bem recomendada é o Entrecôte. Na sobremesa, não dispense um bom gelatto na italianinha Gelateria Goccia di Latte, um dos melhores da minha vida.

Mercado Central

Mercado Central tem opções interessantes para quem é fã do esporte de botecar.

O destaque vai para o Bar da Lora que já virou tradição no lugar. E a fama é merecida: foi o primeiro comandado por uma mulher no mercado e, principalmente, foi vencedor do Comida di Buteco. A única dificuldade vai ser conseguir espaço no balcão no final da tarde, porque onde tem comida boa e cerveja gelada, o povo vai curtir o fim de expediente.

Bar da Lora - O que fazer em Belo Horizonte
Bar da Lora em fim de expediente

Informações práticas

Mercado Central

Endereço: Av. Augusto de Lima, 744.

Funcionamento: Segunda a sábado, das 7h às 18h. Domingos e feriados, das 7h às 13h.

Informações: (31)3277-4691/[email protected]

E o que entraria no top 3 de vocês sobre o que fazer em Belo Horizonte?

COMPARTILHAR
Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui