As festas de final de ano estão aí! E muita gente aproveita essa época também para viajar e aproveitar para conhecer outro destino. O negócio é que, como as comemorações afetam o mundo todo praticamente, como faz para se preparar para o final de ano na Europa?

Natal e Reveillón na Europa: experiências e dicas

Alemanha: Berlim

Quem foi: A Ju Moreti, do Turistando.in.

Experiência do Natal: A noite de Natal passei em casa, mas a Alemanha se prepara desde o início de dezembro para o Natal. São diversos mercadinhos espalhados pelas principais praças da cidade. Creio que tudo se inicia no dia 6 de dezembro, dia de São Nicolau. Recebemos neste dia em nosso apto um pacotinho com chocolatinhos e alguns doces.

Antes do Natal, participamos de uma festa familiar no complexo onde morávamos (um condomínio de professores / pesquisadores das Universidades de Berlim) com música, coro e dança típica (além de mais chocolates de presente). No Natal, resolvemos passar em casa (não tínhamos muitas amizades por lá).

Reveillón na Europa - Portão de Brandenburgo

Experiência do Reveillón: O Ano novo choveu e fez muito frio, mas como estávamos lá, nos agasalhamos e tentamos ver a queima de fogos no portão de Brandemburgo. Foi um total fiasco. Chegamos por volta das 22h30 e não pudemos entrar. Ficamos do lado de fora, junto a vários outros alemães e turistas aguardando a meia noite.

O curioso é que os alemães jogam tantos rojões que o céu fica totalmente enfumaçado. Não deu para ver a queima de fogos.

Se preparou com antecedência? Não (risos). Na verdade, meu marido estava com muita preguiça. Quase não fomos (morávamos lá).

As diferenças culturais: São muitas! O frio muda tudo e, para nós, aquilo começou a fazer sentido. Natal foi feito para o inverno! A neve lá não é fake assim como a roupa quente do Papai Noel. Mas o que acabou nos fazendo mais sentido é a iluminação no Natal. Tem sentido! Tem motivo!

No inverno, o dia é mais curto e todas aquelas luzes, além de iluminar melhor a rua que escurece por volta das 16h, leva um clima menos triste e depressivo!

Para o Ano Novo, diria que o clima de calor tem mais sentido. O frio, chuva ou neve impedem aquela festa alegre de rua.

Reveillón na Europa - Berlim

Uma história inusitada: Ter chegado 2 horas antes da meia noite e ser proibida de entrar na festa aberta de rua está valendo? Se sim, depois de ter tido coragem de sair debaixo de frio e garoa, ao chegarmos na entrada da festa no Portão de Brandemburgo, encontramos um bloqueio de policiais que impediram nossa entrada. Ficamos perto do bloqueio, ao lado de um bando de alemães doidos que não paravam de soltar rojões.

Repetiria a dose? Sim! Mas não iria para a Brandenburger Tor. Chegaria perto da meia noite para ver os fogos na Breitscheidplatz, perto da rua Ku’dam.

Dicas você daria para outros viajantes que pretendem passar a data nesse destino: Cheguem muito cedo, caso estejam a fim de ver a festa no portão de Brandemburgo. Ou então, que chegue próximo da meia noite em festas menores. Eu gostei do que eu vi na Breitscheidplatz. Nesta praça ocorrem 4 queimas de fogos, às 18hs, 20hs, 22hs e 24hs.

Mais dicas no Turistando.in: Mercados de Natal em Berlim e Bremen e Reveillón em Berlim.

França: região da Alsácia

Quem foi: A Maytê, do Passaporte com Pimenta.

Experiência do Natal: O Natal da Alsácia é o mais conhecido da Europa, uma região repleta de vilarejos que montam os famosos Marchés de Noël. As decorações natalinas invadem as ruas das cidades, desde luzinhas decorando as casas até inúmeras decorações de natal que estão expostas nas barraquinhas. Além de vender decoração de natal, outro ponto alto são as barracas de comidas e bebidas, a bebida mais típica desse tipo de mercadinho é o vinho quente (tinto e branco) e as comidas vão desde pretzel e maçã do amor, até purê aligot.

Reveillón na Europa - Alsácia - 2

Se preparou com antecedência? Sim. Eu fiz reserva em um restaurante para jantar na noite do dia 24 de dezembro (3 semanas antes).

As diferenças culturais: No Brasil não temos o costume de fazer feirinha de natal, vendendo decoração e muito menos comida. Outra diferença é a própria decoração, o que para nós brasileiros gira em torno do Papai Noel, lá existe uma variedade enorme de personagens natalinos. São eles: o ginger cookies (em formato de decoração e de comida), bonecos de neve e o alce. Apesar de ser turista, sei que a meia noite para eles não é tão significativo como é para nós, jantamos normalmente (um menu especial de natal), mas nada aconteceu na meia noite do dia 24.

Repetiria a dose? Sim, todos os anos, se possível! Apesar da distância da família, foi o natal mais lindo que eu já tive! Acho que crescemos com aquela imagem de natal que se passa no inverno e pela primeira vez senti essa energia de natal no inverno. O fato de nós brasileiros termos herdado toda essa cultura e não ter a nossa própria cultura para essa data, faz com que a gente se identifique com tudo que está acontecendo ao nosso redor.

Reveillón na Europa - Alsácia - 3

Dicas você daria para outros viajantes que pretendem passar a data nesse destino: Não deixe o frio abalar o seu passeio! Se vista corretamente, tome muito vinho quente, prepare o bolso (quem gosta de natal surta com a decoração) e aproveite. Caso esteja viajando em grupo eu indicaria fazer um jantar (uma ceia) no hotel ou apartamento, os jantares são muito mais caros e não senti que valeu a pena.

Mais dicas no Passaporte com Pimenta: Como foi passagem da Maytê pela Alsácia.

França: Paris

Quem foi: A Ana Carolina, do Um Olhar Novo.

Experiência do Reveillón: O Ano Novo em Paris não foi dos mais agradáveis, e é verdade. Fomos todos para a Champs Elissées, levamos nosso espumante, e. às 0h, com diferenças de segundos, todos começaram a se abraçar – o máximo foram alguns gritinhos de “Feliz Ano Novo” de brasileiros em volta. Por causa do risco de terrorismo, fogos não eram permitidos, e a Torre Eiffel piscou, como faz todas as noites. Por causa deste contexto, ficamos bem frustrados.

Se preparou com antecedência? Não reservamos restaurante. Fomos em um grupo de 10 amigos e nos encontramos na rua.

Reveillón na Europa - Paris

As diferenças culturais: A principal diferença foi esta ausência de um show público, ou outro evento público que determinasse a hora da virada. Além disso, após a meia noite, todos voltam para casa – ou outro local, deixando os metrôs bem cheios. Não havia uma continuação de festa.

Uma história inusitada: Frio conta?!

Repetiria a dose? Bom, não digo mais que “desta água não beberei”… mas acho que há outros destinos para experimentar antes de repetir.

Dicas você daria para outros viajantes que pretendem passar a data nesse destino: A dica que deixo é de programar um evento privado para o Reveillón em Paris, seja em um restaurante, um hotel, e mesmo que esteja em grupo. O frio é significativo, e não há uma festa verdadeiramente dita na rua, deixando a virada de Ano Novo um pouco sem graça.

Inglaterra: Londres

Com os amigos

Quem foi: A Ju, do Arrumei as malas e parti.

Experiência do Reveillón: Eu moro no interior da Inglaterra, mas passei o Ano novo de 2014/15 em Londres, em um barco no Rio Tâmisa. A festa é bem animada e atrai gente do mundo inteiro para a cidade, com fogos de artifício coloridos e as badaladas do famoso Bi g Ben contando a virada do ano. Atualmente, é necessário pagar uma entrada para passar o final de ano lá, mesmo que seja apenas na rua, pois estão tentando controlar as multidões que este porte de evento trás.

Se preparou com antecedência? …)? Eu e mais alguns amigos fechamos uma festa no barco que  nos dava direito de passar pela “barreira” da área em volta ao rio Tâmisa. Passamos em um grupo de pessoas, sendo alguns brasileiros e ingleses e compramos os ingressos com alguns meses de antecedência.

Reveillón na Europa - Londres - 3

As diferenças culturais: A festa dentro do barco era bem parecida com o que conhecemos no Brasil, música animada, pessoas bebendo e dançando e se divertindo. Nada muito anormal. Na parte de baixo do barco tinha o restaurante em que era possível jantar, se você tivesse reservado antes e pago pelo buffet. Tem mais tradições britânicas aqui.

Uma história inusitada: No meio da festa, todos estavam se divertindo, dançando e estávamos conversando com um casal de ingleses ao nosso lado. Tudo muito bem, galera bem bêbada já, nada muito anormal do que estamos acostumados, né? Quando, de repente, um barquinho da guarda costeira pára ao lado do nosso barco e o nosso coleguinha que havíamos acabado de conhecer sai junto com o policial e é algemado, pois deu um soco em outro e ninguém soube o motivo,pois não se falou mais nisso.

Repetiria a dose? Um réveillon em Londres, em um barco e em uma festa privada com certeza repetiria. Os fogos e o momento é mágico. Muito lindo de viver!

Dicas você daria para outros viajantes que pretendem passar a data nesse destino: Se organizem com antecedência e, se possível financeiramente, reservem uma vaga em um destes barcos que realizam festas, pois lembrem que é inverno e chegar cedo e ficar em pé por horas esperando fogos de artifício não é a melhor coisa do mundo. Então uma festa no barco faz a espera pela virada do ano ser divertida e bem animada.

Reveillón na Europa - Londres - 2

Com o namorado

Quem foi: A Débora, do Foco no Mundo.

|+ a Débora respondeu: Disney ou Europa, qual a melhor viagem no Natal?|

Experiência do Reveillón: A “festa” principal é na beira do Rio Tâmisa, bem pertinho da London Eye e do Big Ben. Há um show de fogos que dura alguns minutos após meia noite, e só, rs. As ruas perto do Rio são fechadas e só entra lá quem tiver comprado o ingresso (é baratinho, umas 10 libras eu acho, mas é preciso comprar com antecedência). Quem não vai ver o show de fogos geralmente vai para algum restaurante ou para alguma balada.

Se preparou com antecedência? Não, fui totalmente despreparada. Quando descobri que precisava comprar os ingressos já estava tudo esgotado. Foi uma enorme confusão para mim esse dia. O plano era ir para o mais perto que eu conseguisse de onde iam acontecer os fogos, para pelo menos ver de longe. Como fecharam as ruas para a festa, os ônibus pararam bem antes de onde eu pretendia descer. Aí fiquei perdida e não sabia como chegar no local, não tinha internet, meu namorado estava desesperado (pensa em alguém que odeia ficar perdido?) e nós passamos mais de meia hora andando, procurando o lugar. Só fomos encontrar quando começou a contagem regressiva, que aí vimos muita gente correndo pra lá e nós fomos atrás. Chegamos pertinho de onde terminava a parte fechada e conseguimos ver os fogos ali (já haviam começado quando a gente conseguiu chegar). Foi tanto estresse que assim que terminou o show nós decidimos voltar para o Airbnb e começamos o ano quentinhos debaixo das cobertas.

Reveillón na Europa - Londres - 1

As diferenças culturais: Sinceramente, achei bem parecido com o Brasil e bem diferente da imagem que eu tinha dos ingleses até então. As filas para as baladas estavam lotadas e as meninas com roupas suuuuper curtas e decotadas (Deus me livre colocar regra na roupa dos outros, mas estava MUITO frio! Eu estava com dois casacos de neve e fiquei chocada com a situação, risos). Estava todo mundo muito alegre, bebendo, falando alto e fazendo bagunça com os amigos (um pouco difícil de imaginar quando se passa alguns dias vendo apenas ingleses certinhos e sérios). Uma coisa que achei bem legal é que logo após os fogos muita gente começou a ir embora, todo mundo de ônibus e ninguém precisou pagar! Acho que é a forma deles fazerem com que todo mundo possa ver o show de “pertinho” e de comemorar a data também. Era incrível todo mundo abrindo um sorrisão e agradecendo o motorista quando ele dizia que não precisava pagar. Nem é que as pessoas não poderiam pagar, mas é bem legal ganhar um “presente” assim, tão simples mas tão especial pelo contexto.

Uma história inusitada: A história que já contei na segunda pergunta. Na hora foi horrível, meu namorado queria voltar para o ap de qualquer jeito, sem ver o show de fogos. Eu lembro que fiquei super irritada com ele, mas também estava meio desesperada com a situação. Hoje eu morro de rir e penso no quanto éramos bobos, além de termos ido totalmente despreparados, não tivemos coragem de pedir ajuda para ninguém. Mas agora a gente ri, né? O importante foi que deu tudo certo no final 🙂

Repetiria a dose? Com certeza, mas só se eu conseguisse me organizar direitinho e comprar o ingresso para ver de perto.

Reveillón na Europa - Londres - 4

Dicas você daria para outros viajantes que pretendem passar a data nesse destino: Planejem-se com antecedência. No meu caso, não deu porque a viagem para a Europa foi planejada com um mês de antecedência, por causa de uma mega promoção de passagem que encontrei na Black Friday. Então não deu tempo de olhar nada. Mas quem já estiver organizando a viagem desde o meio do ano, pelo menos, já fique de olho no site para comprar os ingressos (em setembro/outubro, mais ou menos). Vá bem agasalhado, principalmente se for ficar perto do rio e lembre-se que o trânsito muda completamente a partir da tarde do dia 31.

Mais dicas no Foco no Mundo: Reveillón em Londres.

Itália: Roma

Quem foi: A Ana, do Vou para Roma.

Experiência do Natal: Natal em Roma é mágico, afinal estamos juntinho do Vaticano o que dá toda uma conotação do verdadeiro Natal. O real sentido do Natal.

Temos a Missa de Natal conhecida por nós brasileiros como a “Missa do Galo”. A praça San Pietro fica lotada e repleta de muita emoção.

Além disso as decorações pela cidade são belíssimas e dão um toque mágico à data.

Isso sem falar no clima, inverno é bem mais a cara do Papai Noel, não é mesmo?

Reveillón na Europa - Roma - 2

Se preparou com antecedência? Como vivo aqui passamos Natal em família e Reveillón na casa de amigos. Porém, nos lugares que fazem festa para o Reveillón e jantar de Natal precisa reservar com antecedência.

As diferenças culturais: Algumas e também semelhanças:

  • Comer lentilha no Réveillón: tem no Brasil e na Itália;
  • Uva e romã não podem faltar à mesa;
  • Aqui, a cor da calcinha para o fim de ano é sempre vermelha;
  • Também tem a versão romana da Corrida de São Silvestre.

Tem mais detalhes disso tudo aqui.

Uma história inusitada: Não, mas a única coisa que me parece estranha é que, na noite de Natal, depois da ceia, eles jogam bingo o que para mim é meio fora de lógica! Enfim…

Repetiria a dose? Repito sempre, todos os anos e gosto deste clima de Natal invernal.

Dicas você daria para outros viajantes que pretendem passar a data nesse destino: Para o natal, o jantar em Restaurantes precisa de reserva antecipada (tem algumas dicas aqui). Além disso, se quiser participar da Missa na Praça São Pedro(Vaticano), chegue cedo, pois a praça fica lotada!

No Reveillón, aqui há tem sempre a tradicional queima de fogos: no Coliseu/Via dei Fori Imperiali ou no Circo Massimo. Divulgamos sempre no Blog assim que a prefeitura publica a programação.

Se quiser pode ir até o Monte Livata que fica a 85 km (1 hora e meia) de Roma e dá para aproveitar um dia na Neve. Muito show!

Reveillón na Europa - Roma - 1

Mais dicas no Vou para Roma: Dicas úteis para essa época do ano, Presépios em Roma e Tour de Natal em Roma.

Portugal: região norte e Óbidos

Quem foi: A Lidiane, do A Casa na Mala.

Experiência do Natal: Muita coisa é como em várias partes do mundo, como as luzes, os mercadinhos, as árvores e a visita do Papai Noel, que lá é chamado Pai Natal. O Natal é passado em família, com um belo jantar em que o prato principal é o bacalhau. Portugal é um país muito católico e os presépios e a Missa do Galo são importantíssimos nessa data.

Reveillón na Europa - Portugal - 2

Se preparou com antecedência? Morava em Portugal e estava longe da família, assim que o meu Natal foi em casa com grandes amigos brasileiros e portugueses.

As diferenças culturais: A quantidade de doces típicos portugueses nessa data é enorme, mas a “estrela” da festa é o Bolo Rei, um pão de rosca recheado com frutas cristalizadas e frutos secos. Dentro tem um docinho em forma de rei e uma fava. Quem econtra o bonequinho é o rei, e quem encontra a fava tem que pagar o bolo do ano seguinte.

Uma história inusitada: Que eu me lembre só mesmo a festa que fazíamos quando alguém encontrava a fava.

Repetiria a dose? Sim, é sempre bom estar perto de pessoas queridas quando se está longe da família.

Dicas você daria para outros viajantes que pretendem passar a data nesse destino: Pra ver algo bem típico, o melhor é passar o Natal em alguma cidade pequena. Em muitas aldeias, principalmente no norte, a tradição é o Madeiro – acender um grande fogueira na porta da igreja pra “aquecer o menino Jesus”. (Na verdade essa tradição tem origem nos cultos pagãos, pra celebrar o solstício de inverno).

Outro lugar muito legal pra ir nessa data é Óbidos. Essa cidadezinha medieval que já é linda, se transforma na Vila Natal e fica fica toda iluminada. É montada a Casa do Pai Natal, pista de patinação, presépio, vários jogos e espetáculos.

Reveillón na Europa - Portugal - Óbidos

Mais dicas no A Casa na Mala: Um tour por Óbidos com a Lidiane.

Já passou o final de ano na Europa? Conta aí. 😉

COMPARTILHAR
Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui