Se você está procurando o que fazer na capital das Minas Gerais, já te aviso: 11 de cada 10 mineiros indicam o Mercado Central de Belo Horizonte como uma parada obrigatória para quem está de passagem pela cidade. E não é à toa: além de botecar, o local é o cantinho mineiro mais conveniente para as compras. Afinal, são mais de 400 lojas vendendo de tudo o que possa imaginar, de artesanato, a panelas, iguarias, suplementos alimentares e até passeios em agências de viagens.

De pé desde 1929 e tendo funcionado como um ponto de abastecimento da cidade até os idos dos anos 1970, o Mercado ainda hoje é o lugar preferido de encontro dos mineiros da capital. Por conta disso, acaba sendo também uma experiência interessante para os visitantes descobrirem a cultura local.

O que esperar do Mercado Central de Belo Horizonte?

Não, se você está pensando que o mercado é uma daquelas bagunças mal cheirosas estilo fim de feira. O lugar é bastante organizado, com lojinhas, restaurantes e bares para parar e experimentar. Claro que não dá para esperar uma estética de shopping, até porque isso descaracterizaria a coisa.  O negócio é que vale a visita, tanto que até a revista da TAM arriscou colocar o bichinho no TOP 10 de mercados ao redor do mundo, a nível de mercados mundialmente reconhecidos. Quer mais?

Mercado Central de Belo Horizonte - Fachada
Um dos mais arrumadinhos que a pessoa aqui já viu. Conclusão: até foto tirei em frente.

As compras

Claro que os produtos mais procurados permeiam os queijos – onde, particularmente, amamos um tal recheado que dá para comer rezando de tão delícia, a bendita goiabada e a cachaça da roça. E tem uma razão: o melhor custo benefício para esses produtos que você vai encontrar na cidade fica aqui.

Para fazer o negócio ficar mais interessante, além de procurar boas promoções (lá tem várias!), não hesite em pechinchar. Aqui o espaço é para isso mesmo. Levando produtos em maiores quantidades, então, aí que pode começar o chororô!

A cada corredor do mercado, são novas cores, aromas e sabores que você vai experimentar. Não vale mesmo a pena é abrir mão disso!

Mercado Central de Belo Horizonte - Por dentro
Por dentro do Mercado Central de Belo Horizonte: olha as lojas de frutas. Organizadinho, né?

Para fechar, o Mercado Central de Belo Horizonte é uma ótima oportunidade de levar lembrancinhas para casa. Além dos doces já enlatados charmosamente em latinhas decoradas, tem várias lojinhas para se comprar artigos de artesanato local a preços camaradas.

A comida

Procurar o Mercado Central de Belo Horizonte para comer e botecar é inevitável. O lugar faz parte do roteiro gastronômico que você simplesmente não pode perder na cidade. A boa aqui é parar para um almoço e experimentar a comida típica mineira. A tradicionalidade do programa é tanta, que aos sábados todos os restaurantes servem como prato principal aquela feijoada deliciosamente carregada.

Para estimular ainda mais, dois campeões do Comida di Buteco moram por aqui: o Casa Cheia, campeão em 2005 com o prato Mineirinho Valente; e o Bar da Lora, vencedor em 2010 com o Pura Garra da Lora. Vale aproveitar a visita para descobrir o motivo dessas delícias serem vencedoras do concurso, né?

Bar da Lora - O que fazer em Belo Horizonte
Bar da Lora em fim de expediente

Por conta da popularidade tanto entre mineiros como turistas, espere encontrar uma certa de dificuldade para encontrar espaço nos balcões e mesas dos bares e restaurantes durante os horários de pico, que acontecem principalmente no final do expediente e nos almoços de fim de semana.

A capela

Surpreende descobrir isso, mas o Mercado Central também conta com uma capelinha dedicada à virgem de Fátima, que é reconhecida pela Arquidiocese de Belo Horizonte. Inclusive, todo domingo é realizada uma missa às 7h da matina, que conta com a participação de comerciantes e moradores da região.

O ruim do Mercado

Nem só de coisas boas vive o Mercado Central de Belô. O lugar também é fonte de polêmicas relacionadas ao comércio de animais, que são tratados como objetos, dentro de gaiolas apertadas, amontoados e em condições sanitárias duvidosas. Sinceramente, é o ponto mais revoltante do Mercado, sendo alvo de críticas por diversas entidades e jornalistas. A coisa é tão tensa que fotos e filmagens nessa parte do mercado chegam a ser proibidas e campanhas de protesto já chegaram a ser vetadas (dá uma olhada nesse artigo da Wikipedia).

A parte triste é que, se essa coisa ainda persiste é porque ainda existem pessoas que financiam esse tipo de tráfico. E digo tráfico, sim, porque a legalidade disso é totalmente questionável. Mas as vendas seguem há tempos e nada é feito. Nem pelo governo, nem pelos órgãos protetores dos animais, que indefesos, seguem sendo expostos a doenças e condições absurdas.

Não acho justo penalizar as outras lojas que não tem nada a ver com isso, mas, por favor, passe longe dessa área do Mercado.

Mercado Central de Belo Horizonte - Fachada
A fachada do Mercado Central de Belo Horizonte

Perguntas e respostas sobre o Mercado Central

Tem estacionamento? Sim, o Mercado Central conta com um estacionamento com cerca de 420 vagas. Ele funciona todos os dias das 7h às 20h, custa R$ 10/hora e aceita pagamento em dinheiro ou cartão de débito.

Dá para deixar a bike lá também? Atualmente, eles permitem, sim.

Como faz para chegar de transporte público? É possível chegar de ônibus pelas linhas 2102, 2103, 4111, 4501, 8401 e 8405. Nesse caso, desça no Mercado Central no ponto da Rua Santa Catarina.

É verdade que tem visita guiada? É. A visita guiada acontece de segunda a sábado, das 9h às 17h. Nos domingos é até as 13h. Você pode obter mais informações pelo site, pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (+55) 31 3277 4691.

Informações Práticas

 Funcionamento  Segunda a sábado, das 7h às 18h. Domingos e feriados, das 7h às 13h.
 Endereço  Av. Augusto de Lima, 744
 Telefone  (+55) 31 3277 4691
 E-mail  [email protected]
 Site  www.mercadocentral.com.br
COMPARTILHAR
Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

11 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui