Vídeos

Bonito (MS) | 12 dicas que todo mundo deveria saber antes de ir

Bonito (MS) - 0

Bonito (MS) | 12 dicas que todo mundo deveria saber antes de ir

Você já experimentou procurar no Google os melhores destinos de ecoturismo do mundo?  Vai lá. Agora me conta o resultado. “Bonito (MS)” está na lista, não está?

Pois é, todo mundo conhece as belezas do lugar que, realmente, são inegáveis. Mas, o que nem todos sabem antes de planejar a viagem são alguns itens que interferem diretamente em como você vai aproveitar a bendita. Não se preocupa, estamos aqui para isso. 😉

As dicas sobre Bonito (MS)

#1 Os passeios tem limite de carga, por isso: antecedência na reserva

Isso quer dizer que tem um número máximo de pessoas para estar lá a cada dia. Se o bendito é duzentos, não adianta querer ser o 201 que não dá.

Por isso, nas épocas mais concorridas, os atrativos mais badalados esgotam logo. Daí, a boa é reservar com antecedência:

  • Alta temporada (férias e feriados): 3 a 4 meses antes da sua viagem.
  • Carnaval e Reveillón: 6 meses é o mínimo necessário. O lugar simplesmente superlota nessas épocas e, se você tiver opção, escolha outro período.
  • Baixa temporada: é a época mais feliz de todas, quando você consegue até reservar na hora e ainda pagar mais barato nos atrativos. Para os passeios mais concorridos, se garanta com 1 mês de antecedência.

#2 Só dá para comprar os ingressos na agência, não adianta

Para controlar o limite de carga, a Prefeitura tem um sistema centralizado de vouchers, que só podem ser emitidos nas agências. Por isso, nem adianta querer comprar na hora indo direto ao atrativo.

A boa notícia (ou não!) é que os preços, por essa razão, são tabelados.

#3 Bonito não tem passeios gratuitos

Esse é um dos primeiros impactos de quem vai a Bonito. No entanto, não se assuste: há preços para todos os bolsos. De R$ 30 a mais de R$ 1.000!

Se você parar para pensar, é algo até compreensível: a infraestrutura que eles oferecem lá é incrivelmente boa, uma das melhores do mundo, com prêmios e tudo! E, sustentar isso custa, certo?

#4 A época do ano vai influenciar diretamente no que você vai ver em Bonito

De dezembro a março, acontecem as chuvas. Por isso, as cachoeiras ficaram mais caudalosas e a mata, mais verde. Além disso, é a época em que acontece a piracema, quando diminui o volume de peixes nos rios (embora você ainda os veja por lá) que estão em fase de reprodução.

De maio a setembro, na época da seca, os rios ficam mais cristalinos e cheios de peixes.

#5 Não precisa saber nadar para fazer os passeios

Nas flutuações, você usa uma roupa de neoprene que, por si só, já ajuda muito na flutuação. Ainda tem os coletes, que colocam por cima, e, desse jeito, nem querendo muito você afunda.

Além disso, há coletes disponíveis para uso em qualquer passeio que envolva água. Até nos Balneários, onde é possível alugar.

#6 A maioria das atrações é longe da cidade, por isso: estude os meios de transporte

E, para complicar mais: não tem transporte público. Por isso mesmo que os táxis e mototáxis não tem receio de cobrar. Nem taxímetro usam!

Então, conte que vai precisar contratar um transporte ou alugar um carro. No caso dessa segunda opção, tenha cuidado nas estradas. Elas não são perigosas, mas por serem de terra, necessitam de atenção redobrada. Isso, sem contar os animais que podem surpreender no caminho.

|Veja mais detalhes sobre como circular em Bonito.|

#7 O transporte também influencia na sua hospedagem

A cidade só tem duas locadoras: a Localiza e a Unidas. As agências também lá seus meios para oferecer o aluguel de veículos. No entanto, dificilmente atendem a demanda de uma alta temporada. Para quem optar por essa forma de locomoção, fica mais livre para escolher onde ficar, já que a cidade em si é pequena.

Para quem não estiver de carro, uma boa ideia é adotar hospedagem nos arredores da rua principal, a Coronel Pilad Rebuá, no máximo duas ruas acima ou abaixo. Além disso, quanto mais perto da praça da Liberdade, melhor. Assim, você fica próximo do comércio, que se concentra todo nessa região, e não depende de transporte à noite para ir aos restaurantes.

#8  Desconecte

Na verdade, em Bonito você é obrigado a desconectar. O 3G praticamente não funciona na cidade, especialmente, se a sua operadora for a Claro. Para vocês terem noção, ano passado que a empresa colocou uma antena por lá. A Vivo e a TIM estão na promessa, ainda. Aos poucos, está caminhando…

#9 Leve dinheiro para os passeios

Boa parte dos passeios é no interior. Ou seja, telefone ruim, internet ruim e, às vezes, até a luz falta. Por isso, alguns atrativos nem arriscam passar o cartão e costumam pedir o pagamento dos lanches e souvenirs em dinheiro mesmo.

#10 Não beba água que não seja mineral

A água de Bonito é potável (aquela sem gosto, sem cheiro e, nem precisava dizer, sem cor). A questão é que ela tem uma grande concentração de calcário e magnésio, sendo, inclusive, essa a razão de ser tão cristalina. No entanto, isso também deixa o nosso cabelo mais ressecado e pode render alguns desarranjos intestinais para quem não está acostumado.

Assim, nos restaurantes e, principalmente, nas barracas de rua, se certifique que a água usada nos sucos é mineral. Para os cabelos, não tem muita solução ainda, mas um bom condicionador ajuda a amenizar a situação.

#11 Na dúvida, vá com sapatos fechados

Exceto nas flutuações e balneários, a maioria dos passeios exige sapatos fechados para encarar as trilhas. Por isso, opte por tênis e botas, que são amplamente aceitos nos atrativos.

#12 Atrase o seu relógio

Bonito tem um fuso horário diferente da maior parte do Brasil. Enquanto Brasília é UTC-3, o Mato Grosso do Sul é UTC-4.

Para facilitar: lá é sempre uma hora a menos que na capital brasileira, mesmo no horário de verão.


Esta viagem contou com o apoio da Agência Sucuri. Todavia, as opiniões aqui expressas foram resguardadas a fim de transmitir informações verdadeiras aos nossos leitores amigos.

Tags:
dayanalole Administrator

Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

2 comentários

  • Jaqueline Sanches
    Postado em 08/09/2017 em 12:36 Responder

    Achei o máximo o post.
    Obrigada pelas dicas.

    Jaqueline

    • dayanalole
      Postado em 12/09/2017 em 6:50 Responder

      Obrigada, Jaqueline! 🙂

Deixe um comentário

© Copyright 2014-2017 Lolepocket. Todos os Direitos Reservados.