Todo mundo que vai a Foz do Iguazú pensa, no mínimo, em dar uma voltinha na fronteira para conhecer o Duty Free, ali entre o Brasil e a Argentina. O lugar é um verdadeiro shopping e conta com toda a infraestrutura: ambiente climatizado, estacionamento e restaurante. Só tem 4 coisas que diferenciam o Duty Free de um shopping:

1. O estacionamento é GRATUITO! Gente, acho que fui ao delírio com essa, já que os preços de alguns estacionamentos hoje em dia são um absurdo.

2. Os preços são em dólares. #duh

3. O Duty Free é uma loja só, então o caixa é único.

4. Falando nisso, assim que você entra, sua bolsa é lacrada e só vai poder ser aberta quando chegar no bendito caixa.

Duty Free Puerto Iguazu
Duty-Free de Puerto Iguazú – a pessoa aqui não estava bem para tirar fotos no dia em que fomos lá, não é bom ir depois do IceBar… (Foto: Make Tour)

Por lá, tudo é muito do organizado. O Duty Free é todo separadinho em áreas: chocolates, perfumes, maquiagens, eletrônicos, artigos esportivos, brinquedos… tudo tem o seu canto certo. O mais bacana é que cada setor tem seu tema, como se fosse uma viagem pelo mundo, sabem? Por exemplo, a área dos perfumes é decorada com o tema de Paris, a área dos eletrônicos segue uma fórmula mais oriental, e por aí vai. Por mais que a gente não queira comprar muita coisa, a visita acaba valendo a pena.

Dentro Duty Free - Puerto Iguazú
Por dentro do Duty Free (Foto: Make Tour)

#dicadeviajante

A vantagem aqui sobre as compras no vizinho, Paraguai, é que você não vai precisar se preocupar tanto com a segurança ou com a qualidade dos produtos. No quesito preços, não tem muita diferença.

Quando ir?

O Duty Free funciona todos os dias das 10h às 21h. Ele fica mais cheio à noite, quando as pessoas chegam com os transfers dos hotéis e agências de turismo.

Como ir?

Alguns hotéis e agências de Turismo oferecem o transfer para o Duty Free. Aqui tem o link da Loumar Turismo, a maior agência da região, que faz esse serviço por R$ 25. Eles pegam você no hotel por volta das 18h30 e saem do Duty Free às 21h. Achei também a Make Tour fazendo esse translado por R$ 30.

Se você estiver de carro, não tem muita dificuldade. Depois que cruzar a ponte Tancredo Neves, só continuar em frente. Você vai encontrar o Duty Free logo antes da Aduana Argentina.

O endereço, caso vá colocar no GPS, é Ruta Nacional 12, km 1.645, 5, Puerto Iguazú.

O que você precisa saber?

1. Para entrar no Duty Free, você precisa estar com seu passaporte ou carteira de identidade em mãos. Se for com RG, ele tem que ter sido emitido há menos de 10 anos.

2. Não esqueça que a cota de compras para via terrestre é menor: US$ 300 por pessoa. Você deve passar pela Aduana Brasileira quando voltar para Foz do Iguaçu e eles podem pedir para olhar suas compras. Se você ultrapassar o valor da cota, vai pagar 50% de imposto sobre o quantitativo a mais. Ou seja, se gastar US$ 350, já se planeje de pagar US$ 25 de imposto.

3. E não pense que vai se safar fácil da Receita Federal. Saiba que antes de fazer o checkin para a sua companhia aérea você vai passar pelo raio-X. E eles costumam ser rigorosos por lá, mesmo para vôos nacionais, já que conhecem as possibilidades de compras na fronteira.

4. Lembre dos limites de quantidades da Receita Federal:

– Bebidas alcóolicas: 24 unidades podem ser trazidas sem pagar impostos, respeitando o quantitativo de 12 unidades iguais.

– Eletrônicos ou equipamentos elétricos, relógios, brinquedos ou jogos: só é permitido trazer até 3 unidades.

– Artigos de toucador (maquiagem, perfumes e afins): deixam trazer 10 unidades, no máximo.

Ainda vale a pena fazer compras por lá?

Os preços são praticamente os mesmos de um Duty Free de aeroporto e, como comentei antes, os produtos são vendidos em dólar. Mas isso não significa que você deva levar doletas para suas compras. Muito pelo contrário.

Shopping
Antes de se animar com as compras, faça as contas. (Foto: Pixabay)

Quer dizer, até o ano passado, diria: vamos fazer umas continhas e ver que a moeda que vale a pena levar são os pesos argentinos, que você trocará em Foz do Iguazú. Hoje, eu digo: faça as contas e pense muito! Com o dólar alto tanto em relação ao peso como ao real, dependendo do que você queria comprar, pode ter deixado de ser um bom negócio. A boa é ter uma listinha com os preços dos produtos aonde você mora e comparar.

#dicadeviajante

Ainda vale a pena trocar reais por pesos em Foz do Iguazú. Isso vale. As casas de câmbio da região praticam preços bem menores que a cotação oficial, já que por lá eles tem bem mais pesos argentinos que em qualquer outro lugar do país.

Vamos falar dos valores, para você ver como a valorização do dólar em relação ao  peso atrapalhou a nossa vida. Utilizando os valores das agências locais (digitei no google e achei a Scappini e a Atlas Turismo), o peso está sendo vendido, em média, por R$ 0,25 e o dólar por R$ 3,61. Isso sem contar o IOF, que fez o favor de aumentar essa semana (1,1%). O Duty Free usa uma cotação muito próxima da nossa oficial para a conversão entre pesos e dólares.

Se quiser fazer comprinhas de US$ 100 e já levar o dólar trocado nas casas de câmbio, elas custarão:

100 x 3,61 x 1,1% = R$ 364,97.

Já se eu pagar em pesos, o Duty Free vai fazer a conversão para mim (US$ 1 = 14,26 ARS):

100 x 14,26 = 1426,00 ARS.

Que terei trocado na casa de câmbio e me vai me custar (1 ARS = R$ 0,26):

1426 x 0,25 x 1.1% = R$ 360,42.

Então, a diferença passou a ser quase que irrelevante.

Agora, olha a diferença que fazia até o final de 2015, quando US$ 1, no Duty Free, valia 9 ARS, mais ou menos. O dólar, na época, era uns R$ 3,90. Os mesmos US$ 100 custariam 900 ARS, que em reais (a cotação era parecida, 1 ARS = R$ 0,25):

900 x 0,25 x 1,1% = R$ 227,48.

Ou seja, antes era uma boa economia (mais de 30% de diferença!), mesmo aplicando o IOF maior. Hoje já não é mais. O negócio é procurar saber a cotação com antecedência e repetir essas mesmas continhas.

#dicadeviajante

Se você ainda assim quiser tentar a sorte, leve pesos. Vai que a cotação melhora, né? Do jeito que está hoje, você vai economizar uns poucos reais, só. De qualquer modo, olhe a cotação do Duty Free e faça as contas antes de pagar.

Custo do produto pagando com pesos argentinos

Preço em US$ x Cotação Duty Free Dólar-Peso x Cotação Peso-Real na Casa de Câmbio x IOF

Custo do produto pagando com dólares

Preço em US$ x Cotação Dólar-Real na Casa de Câmbio x IOF
Mais informações

Por telefone, +54 03757-421050 ou pelo site (mas ele está temporariamente em manutenção).

E vocês? Ainda acham que vale a pena?

COMPARTILHAR
Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

32 COMENTÁRIOS

  1. Olá, parabéns pelo blog.
    Fui ontem no Duty Free de Puerto Iguazu e as cotações que estão utilizando lá e relação ao Dólar eram:
    R$ 3,26 e P$ 15,20
    Já nas casas de câmbio de Foz a cotação em relação ao Dólar está:
    R$ 3,40 e P$ 15,45
    Compensando mais levar em reais do que comprar dólares ou pesos, mas isto sempre varia.
    Em relação aos preços de perfumes, na Charme ou Monalisa em Ciudad del Este os preços estavam menores do que no Duty Free, chegando em alguns casos até 10 dólares a menos.

    • Realmente, os preços e a cotação estão sempre variando.
      Espero que você tenha feito suas compras em Ciudad del Este, então! Com essa variação…
      Obrigada pela sua contribuição, contando da sua experiência e dos valores que estão usando por lá. Adoro ter informações de outros viajantes. 🙂

      Beijo!

    • Oi, Débora!

      Aceita cartão de crédito, sim. Claro que lembrando que você estará sujeita ao famigerado IOF.

      Com relação ao parcelamento, infelizmente, não é possível porque esse Duty Free está no exterior e não é brasileiro.

      Espero ter te ajudado. 🙂

      Qualquer coisa, pode voltar a perguntar.

      Beijo!

    • Oi, Luiza.

      Olha, no porto de Buenos Aires não tem Duty Free. Mas, geralmente, nas embarcações tem.

      O FreeShop funciona do mesmo modo que nos aeroportos. Sem taxas, mas com uma cota de isenção inferior, de U$ 300. Fique atenta, pois não concedem reembolso e também não realizam trocas, nesses casos.

      Beijos,

      Dayana

  2. Nossa! Fui em Foz no meio de 2015 e aproveitei demais esse esquema de comprar as coisas com o Peso. O dolár já estava caro na época mas lembro que fazendo as conversões acabou saindo por mais ou menos R$2,65, compensou muito. Quando cheguei no Paraguai não consegui comprar quase nada, o Duty Free estava valendo mais a pena. Obrigada pela dica!

    • Oi, Davi.

      Fui para Ciudad Del Este, sim. Dei algumas dicas aqui e tirei várias dúvidas aqui (indicando lojinhas e tudo).

      Na verdade, os dois lugares vendem produtos semelhantes. No quesito perfumes e roupas, os dois lugares são equivalentes. No Paraguai, você pode dar a sorte de encontrar a promoção na Monalisa, onde pagando em dinheiro recebe 10% de desconto. No Duty Free, acha promoções especiais daquelas que vê no próprio aeroporto, com direito a brindes ou preços especiais se comprar numa determinada quantidade.

      Para eletrônicos, você pode encontrar preços mais amigos no Paraguai. Mas lembre sempre que tem que passar pela Aduana e isso pode render gastos a mais se ultrapassar a cota terrestre. Até porque, normalmente, a gente passa a pé pela Aduana nessa travessia Foz-Ciudad del Este.

      Espero ter te ajudado.

      Qualquer coisa, só perguntar aqui.:)

    • Oi, Daniel!

      Sim, consegue fazer as compras normalmente no Duty Free. Mas, como os preços estão em dólar, vai depender das variações cambiais lá na hora (que normalmente não são tão vantajosas, mas tem vezes que surpreende também). 😉

      Meu conselho: veja a variação na época da sua viagem e faça as contas para ver se vale a pena ou se leva uma das outras moedas. De qualquer modo, as casas de câmbio na área de Foz/Puerto Iguazú e Ciudad del Este costumam ter câmbios melhores que em outras partes do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui