Paraguai

Compras no Paraguai: os mandamentos para não ter dor de cabeça

Fronteira - Compras Paraguai

Compras no Paraguai: os mandamentos para não ter dor de cabeça

Que atire a primeira pedra quem nunca pensou em incluir no roteiro da viagem a Foz do Iguaçu uma fugidinha para compras no Paraguai. Agora que o dólar está baixando de novo, então… Você pensa que é logo ali, além disso, vai ser um marco atravessar a Tríplice Fronteira.

Mas, você precisa estar sabendo de algumas coisas antes de embarcar nessa aventura e dizer que ninguém te falou nada.  Afinal, Ciudad del Este, ou melhor, pelo menos o lado que faz fronteira com Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú, não deixa com a mesma impressão que as vizinhas. É meio tumultuado e até sujo, com gente interessada em só uma coisa: compras. E o negócio é esse mesmo. Você não vai para lá para tirar fotos bonitas, vai para fazer compras ou, no mínimo, uma pesquisa de preços. E ninguém pode te condenar por isso.

Fronteira Brasil-Paraguai - Compras no Paraguai

Antes de atravessar a fronteira, se informe e fuja das furadas (fonte: Wikimedia Commons)

Então, vamos aos mandamentos de quem não quer ter dor de cabeça com um inocente passeio de compras em Ciudad del Este.

Planejando as compras no Paraguai

Não deixe para fazer compras nos finais de semana

As centenas de lojas de Ciudad del Este funcionam de segunda a sábado, das 6h às 16h. No domingo, várias estão fechadas ou funcionam em horário reduzido, o que tira esse dia da semana dos planos de quem quer maximizar as chances de fazer algum negócio na cidade.

Como os sábados costumam ser os dias livres para os moradores da região, costuma ser o dia mais cheio, quando eles e os turistas se misturam nas ruas de Ciudad del Este para compras. E, vou te falar, não é uma situação confortável. Então, podendo preferir dias úteis para as compras por lá, melhor.

Ciudad del Este - Compras no Paraguai

Uma das esquinas de Ciudad del Este (fonte: Flickr/Roger Schultz)

Vá com tempo

Se você for muito prático, imagine que vai gastar, no mínimo, duas horas nesse passeio. Mas, normalmente, dá para gastar 5 horas ou mais nesse passeio, para pesquisar bastante e fazer bons negócios. Por isso, a gente indica: vá com tempo. Reserve o dia para as compras por lá. Se sobrar tempo, melhor, que dá para voltar para o hotel e se preparar para uma noite em Foz ou Puerto Iguazú.

O que não vale fazer, em hipótese alguma, é riscar do roteiro um dos passeios essenciais pelas vizinhas, como a ida às Cataratas, seja do lado brasileiro ou argentino, ou a Itaipú, por exemplo, para passar tempo fazendo compras no Paraguai. Acredite: não vale a pena tornar as compras uma prioridade para essa viagem. Se quiser, pode ir no Free Shop de Puerto Iguazú, que não vai ser um mal negócio.

Leve dinheiro vivo, de preferência, reais (te explico porque)

Primeira coisa: por que levar dinheiro? Se você é do tipo que prefere gastar com o cartão de crédito para não ter que levar um bolo de dinheiro e correr o risco de perder ou ser assaltado, saiba que essa opção pode te custar mais caro que apenas o IOF acrescentado na fatura. As lojas costumam adicionar uma taxa extra de 5% a 12% nas compras, além de fazerem uma conversão no mínimo duvidosa de dólares para guarani. Daí, o motivo de pagar em guarani também virar um negócio ruim.

Além disso, algumas lojas, como a famosa Monalisa, oferecem descontos para quem paga em dinheiro (especialmente dólares, mas a gente vai chegar lá).

Monalisa - Compras no Paraguai

Descansando das andanças na Monalisa

Agora, dólares ou reais? Para pagar na loja, definitivamente: dólares. Em geral, a tabela de conversão que as lojas utilizam beneficia mais quem paga nessa moeda.

Mas, para entrar no Paraguai, prefira reais e deixe para trocá-los nas casas de câmbio paraguaias. Digo isto porque, além de fugir do famigerado IOF, é bem provável que consiga cotações melhores que nas casas de câmbio de Foz do Iguaçu. E esteja ligado: as lojas do Paraguai não aceitam notas das séries CB e D, por conta da falsificação. As casas de câmbio paraguaias já estão acostumadas com essa situação e até cobram uma taxa para a realização de troca dessas notas para quem foi desavisado.

Você deve encontrar por lá as casas de câmbio Chaco, a Mundial Cambios e a Maxi Cambios, como também outras menores. Nos sites de todas essas que indiquei é possível conferir as cotações e ter uma ideia se tá valendo a pena.

Antes de sair para as compras no Paraguai

Não esqueça a documentação no hotel

Na fronteira pela Ponte Internacional da Amizade, dificilmente vão te para e pedir, mas esteja munido do seu passaporte ou RG.  Nunca é bom atravessar uma fronteira sem estar devidamente identificado, certo? E só valem esses documentos. Outros, por mais que tenham foto, estão fora de cogitação.

E, falando em RG, lembra do conselho que a gente deu pro Uruguai? Vale aqui também. Não tem bem uma regra de 10 anos, mas a sua foto tem que permitir dizer que você é você sem muito esforço.

Use roupas confortáveis e discretas

Olhe a previsão do tempo, veja se vai fazer sol ou chuva e se vista adequadamente para a situação. Pense muito bem nos calçados que vai usar, pois você está indo bater perna. Não tem o menor sentido qualquer coisa que não seja o máximo confortável.

A outra palavra de ordem é discrição. Se vista de um jeito que não seja facilmente marcado no meio da multidão. Afinal, sempre tem aqueles espertinhos de olho. Deixe as jóias e relógios mais caros e/ou chamativos no hotel.

Leve o mínimo de pertences possível

É muita gente circulando pelas ruas de Ciudad del Este com itens de valor recém adquiridos. Então, não precisamos adicionar a essa lista mais coisas para se tomar conta.

Leve com você o que for essencial e que não seja facilmente violável por algum batedor de carteira metido a esperto. Diria, inclusive, para dispensar a câmera. A do celular basta já que, como falei antes, você não vai ter um cenário tão favorável às fotos.

E, seja o que for que leve, fique de olho em tudo! 😉

Para chegar em Ciudad del Este

Você pode chegar em Ciudad del Este a pé, de carro, ônibus, táxi ou transporte contratado por uma agência de turismo. De todas as formas, vai atravessar a Ponte Internacional da Amizade e passar pelas aduanas brasileira e paraguaia. Mas a experiência é diferente, e a gente tem um conselho para cada jeito.

Se for a pé, fique atento

Já na ponte você já começa a ser abordado. É gente oferecendo ajuda para encontrar alguma loja, produtos a preços absurdamente baratos, mas não caia nessa. Não perca seu tempo, pois esta pode ser uma primeira cilada.

Não são todos, a gente sabe. Alguns estão só atrás de alguma comissão por terem indicado a loja. Outros estão vendendo seus produtos mesmo. Mas tem aqueles que tentam distrair as pessoas para subtrair seus pertences. Então, pelo sim e pelo não, fique ligado!

Travessia a pé - Compras no Paraguai

Atravessando a Ponte da Amizade

Se for de ônibus, prefira o ônibus internacional

Para ir de ônibus a Ciudad del Este, você pode pegar os ônibus circulares de Foz no Terminal de Transporte Urbano (TTU), descer na Ponte Internacional da Amizade e atravessar a pé. As linhas são a 10, 35, 75, 101, 102, 103, 107 e 380. Dá para conferir os horários aqui ou no app Busão Foz.

Tem também uma linha internacional que passa ao lado do TTU, na Rua Mem de Sá, com a indicação “Ciudad del Este”. Nesse caso, você vai poder descer no primeiro ponto depois da travessia da ponte.

A diferença de preço entre um ônibus circular de Foz e a linha internacional que leva a Ciudad del Este é de R$ 1-2. A questão é que o internacional te permite descer já do outro lado da ponte. Tá, a distância não é longa e dá para fazer a pé. Mas você vai estar se poupando das abordagens de quem atravessa a pé.

O único risco que você estará correndo é se deparar com um trânsito na travessia. Nesse caso, a vantagem do busão vai por água abaixo. Esqueça o valor que pagou a mais e desça do ônibus.

E não pense que atravessando a Ponte da Amizade de ônibus vai conseguir driblar a aduana. Os agentes brasileiros entram no ônibus para conferir as sacolas de quem está entrando no país.

Contato TTU

Telefone (45) 21059875
E-mail  foztrans@pmfi.pr.gov.br

Se for de carro, estacione na fronteira do lado brasileiro

Para entrar no Paraguai com carro alugado, você vai precisar da carta verde. Além disso, chegando em Ciudad del Este, vai se deparar com um trânsito complicado, além do risco de ter congestionamento na ida ou na volta. Por isso, fica o conselho: estacione em Foz.

Os estacionamentos se concentram na Av. Beira Rio e na Rua Oswaldo Cruz, bem perto da fronteira. Geralmente, possuem preço único para deixar o dia inteiro e alguns até convênio com alguma loja paraguaia, modo que compras acima de um valor X rendem a isenção da diária para o seu carro. Os preços variam de R$10-30 por dia. Aqui embaixo a gente deixa uma listinha com alguns deles.

Estacionamentos

Estacionamento Endereço Telefone Funcionamento
Bismillah Rua Oswaldo Cruz, 368 (45) 3528-9722 5h às 18h
Mix Av. Beira-Rio, 854 (45) 9901-2242 7h às 18h
Masijor Rua Oswaldo Cruz, 416 (45) 9976-7666 6h30 às 17h30
Mercosul Rua Oswaldo Cruz, 486 (45) 9104-1929 6h às 18h
Cruzeiro Rua Oswaldo Cruz, 498 (45) 3526-2781 6h às 18h

Não quer esquentar a cabeça? Vá com transporte contratado ou táxi

Estas são as opções mais cômodas. Uma corrida de táxi entre um hotel ali pelo centro de Foz e Ciudad del Este deve sair em torno dos R$ 30. Dependendo da quantidade de pessoas e do trânsito, pode ser o mais econômico, já que o custo por pessoa do transporte ida e volta com as agências de turismo fica um pouco acima deste valor.

No caso de contratar o serviço uma agência, a vantagem de contratar uma agência está em ter pontos de encontro fixos e, dependendo da agência, até obter descontos em lojas parceiras. A Loumar Turismo é uma das agências mais conhecidas de Foz e presta esse serviço a partir de diversos hotéis da cidade.

Durante as compras no Paraguai

Fique atento à falsificação e desconfie dos preços muito baixos

Que os preços no Paraguai serão melhores que os praticados no Brasil, é quase uma certeza. Mas, no caso de produtos originais, não são excessivamente mais baixos. Já dizia o velho e bom ditado: “quando a esmola é muita, o santo desconfia”.

Sob hipótese nenhuma pense em adquirir um produto nas barracas espalhadas pelas ruas de Ciudad del Este. Além de ser enganado, trazer um produto falsificado é crime. Prefira realizar suas compras em lojas mais tradicionais e que forneçam a nota fiscal. Aqui tem uma lista de lojas bacanas indicadas por quem entende do assunto.

Não aceite ajuda de estranhos

Sassaricando durante as suas compras, você vai se deparar com gente perguntando “ei, amigo, estás procurando o que?”. Não dê atenção. Como falei antes, algumas dessas pessoas estão atrás de te levar para alguma loja em troca de alguma comissão. Mas outros podem ter outras intenções, então, por segurança, fuja deles.

Não tenha preguiça de pesquisar

A diferença de preços entre lojas vizinhas pode ser grande, mesmo dentro de centros comerciais como o Shopping del Este. Especialmente, se o que você está procurando é um item de maior valor, pesquise.

O Compras Paraguai te permite dar uma conferida nos preços antes de ir. Mas vale lembrar que os valores podem variar conforme a valorização do dólar e o momento do mercado.

Ciudad del Este - Monalisa - Compras no Paraguai

Não faltam opções de pesquisa em Ciudad del Este (foto: Wikimedia Commons)

Confira suas compras ainda dentro da loja

E de preferência ao lado do vendedor. As lojas paraguaias não tem o hábito de atender reclamações depois das compras. Por isso, evite dor de cabeça. Se certifique de que está levando exatamente o que pediu e confira tudinho antes de sair da loja.

Teste os eletrônicos

Voltando a questão das reclamações, trocas também são um problema com as lojas paraguaias. Para evitar o prejuízo, antes de sair da loja com um eletrônico, peça para testá-lo.

Além disso, exija a nota fiscal e a garantia. Produtos sem garantia indicam que podem ser de segunda mão ou até não ser originais.

Para passar pela Alfândega

Se não quer pagar imposto, lembre-se da cota terrestre

Até julho de 2017, a cota terrestre é de 300 USD para cada 30 dias. Sim, isso mesmo: 30 dias. Não adianta dividir as compras em dois dias pensando em burlar as regras, porque o valor é fixo durante esse período. Caso ultrapasse o valor da cota e declare junto à Receita Federal, deverá pagar um imposto de 50% sobre o valor ultrapassado. Ou seja, numa compra de 400 USD, você pagará 50 USD de imposto.

Além disso, a cota terrestre é pessoal e intransferível. Então, se você estiver acompanhado de seus filhos, se certifique de que o que vai entrar na cota deles é compatível com a sua idade. Não pense que os agentes da alfândega vão aceitar a ideia de que um menor tenha comprado bebida alcóolica, por exemplo. Tudo isso é avaliado e você deve saber disso.

Tenha como comprovar a posse dos bens que entraram com você

A melhor forma de comprovar a posse de bens é a nota fiscal. Caso não tenha, você vai depender da interpretação e boa vontade do agente alfandegário. Geralmente, se o produto tem sinais de uso, eles deixam passar. Mas, sempre bom garantir.

Câmeras e celulares novos podem ser taxados

Sim, tem aquela regra de que se você compra uma câmera e celular para uso pessoal no exterior não é taxado. Mas isso só vale para o caso de você usá-los durante a sua viagem.

Como o passeio de compras pelas terras paraguaias, geralmente, só dura 1 dia, não dá tempo para que isso aconteça e, se a Receita pegar, você será multado e taxado. Produtos isentos precisam estar fora da caixa e em uso.

Fique atento às quantidades

A sua cota é para uso pessoal. Ou seja, a ideia não é que alguém obtenha lucro com ela. Por exemplo, para produtos que custam menos de 10 USD, só são permitidas até 20 unidades. Não são permitidas mais de 10 unidades idênticas.

Por isso, fique atento a quantidade de produtos iguais que leva, pois isso pode ser interpretado como uma intenção de revenda e, consequentemente, levar a uma apreensão e multa.

Não esqueça que você vai passar pela Alfândega duas vezes

Por Foz ser uma cidade de Fronteira, além da presença de agentes da Receita Federal na divisa entre os países, tem a fiscalização no aeroporto.

Se você passar com excedentes da sua cota sem declarar e for abordado na fronteira, por ser uma zona primária, será multado em 50% do valor excedente e deverá pagar o imposto de 50% sobre este mesmo valor. Caso isso aconteça apenas no aeroporto de Foz e já no território nacional, você estará numa zona secundária e, portanto, será multado em 50% do valor excedente da cota e terá os bens extras apreendidos.

Para ter uma noção melhor das regras alfandegárias brasileiras, olha esse videozinho feito pela própria Receita Federal:

Ficou com alguma dúvida sobre as compras no Paraguai? Dá uma olhadinha nesse post aqui com perguntas e respostas ou pode perguntar nos comentários. 🙂

dayanalole Administrator

Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

6 comentários

  • Luis Felipe
    Postado em 19/07/2016 em 8:39 Responder

    Super detalhado teu relato. E bem verdadeiro. Ciudad del Este costuma ser muito bagunçada, principalmente em períodos de férias. Brasileiros, paraguaios e alguns argentinos abarrotam a cidade. Uma dica que você deu e super importante é: não atravesse a ponte de carro! O trânsito é maluco! Até há guardas para orientar, mas não conseguem e fica tudo parado por muitos minutos. Leva-se meia hora pra andar uma quadra! Ah, além das lojas oficiais e shoppings, há uma espécie de camelô que vende principalmente roupas. As que se dizem de marca, obviamente só tem o logotipo. Mesmo assim, eventualmente, consegue-se alguns itens bons a um preço irrisório. E as vezes consegue-se coisas bem ruins também. Belo post!

    • dayanalole
      Postado em 20/07/2016 em 11:41 Responder

      Muito obrigada, Luis!
      Fico feliz que você tenha curtido e possa acrescentar com a sua experiência. 🙂
      É sempre bom saber da opinião de outros viajantes.
      Beijo!

  • camila fernandes
    Postado em 08/11/2016 em 10:23 Responder

    Bom dia. Gostaria de saber se para ir somente ao Shopping Paris também não é bom ir de carro. Estou grávida, e queria ir de carro para ir comprando os itens e deixando no carro para não ficar andando o shopping todinho com sacolas.
    grata.

    • dayanalole
      Postado em 08/11/2016 em 10:46 Responder

      Camila, assim, no normal, eu super desaconselho porque atravessar aquela ponte para o Paraguai é muito chato: você pode se deparar com trânsito pesado e assim que passa a Ponte da Amizade a sensação é que é meio bagunça, sabe? Além disso, os estacionamentos do lado brasileiro são bem pertinho da fronteira.

      Mas há estacionamentos no Paraguai onde você pode parar, o que pode ser mais cômodo devido à sua condição super especial, né? No próprio Shopping Paris tem. Só esteja ciente do trânsito e vá com paciência, porque essa área do Paraguai, como falei e reforço, é meio desordenada.

      Espero ter te ajudado. Qualquer coisa, só perguntar. 🙂

      Beijos e parabéns pelo filhinho!!!

  • Usuário Anônimo
    Postado em 13/04/2017 em 9:58 Responder

    Olá, tudo bem
    Voce sabe dizer se precisa de carta verde para atravessar a ponte e se hospedar em Cidade Del Leste 😕
    e Se ficarmos 2 noites no Paraguai usando os itens comprados, eles serão considerados de uso pessoal?

    • dayanalole
      Postado em 13/04/2017 em 10:06 Responder

      Olá!

      Sim, é necessário que se tenha Carta Verde para atravessar a fronteira de países do Mercosul, como é o caso do Paraguai.

      Caso você compre roupas, uma câmera ou celular e esses itens sejam usados durante a viagem, sim, elas serão considerados de uso pessoal e estarão isentas. Agora, outros eletrônicos vão depender da boa vontade do fiscal da RF. O que a RF orienta é que se tenha a Nota Fiscal de compra para comprovação de onde e quando você adquiriu o bem. Mais algumas dicas estão no artigo aqui em cima. 😉

Deixe um comentário

© Copyright 2014-2017 Lolepocket. Todos os Direitos Reservados.