Vídeos

6 passos fáceis e práticos para começar a economizar na hospedagem

Hospedagem-capa

6 passos fáceis e práticos para começar a economizar na hospedagem

Hospedagem é, sem dúvida, um dos maiores gastos na viagem. E, muitas vezes, a gente passa a maior parte do tempo sassaricando pelos destinos que escolhemos que no hotel. Muitas pessoas, inclusive, só usam mesmo para dormir, tomar banho e deixar as malas guardadinhas durante os passeios. Só!

Mesmo assim, o conforto é uma fator importante. Afinal, quem quer já começar o dia de passeios cansado? Ninguém, né? Nesse sentido, vou te dar uma boa notícia: não precisa abrir mão dele para ter uma estadia mais em conta. E, para isso, aqui vão os primeiros passos rumo a estadias que pesam menos no bolso. Veja bem: esses são só os primeiros passos. A gente ainda vai falar bastante desse assunto por aqui. 🙂

Os 6 primeiros passos para economizar na hospedagem

#1 Não coloque um nome do seu destino antes de ver as suas opções

Antes de adotar um destino definitivo para as férias, a boa é investigar sobre os custos de vida no lugar. Geralmente, aqueles mais turísticos vão envolver um desembolso maior no dia-a-dia. Pode dar uma googlada que você vai confirmar.

E, outra coisa: para que se prender a uns poucos destinos que tem um bando de gente explorando quando a gente tem o mundo inteiro a nossa disposição? Às vezes, destinos bacanas, pouco explorados e, portanto, mais amigos do bolso são vizinhos de outros mais populares e caros. Falando em destinos nacionais, por exemplo, Nobres (MS) é bem menos famoso que Bonito (MT), fica no estado vizinho e  é tão bacana quanto.

Hospedagem - Nobres - Aquário

Aquário Encantado em Nobres (Foto: Flickr/Marinelson Almeida)

Também não caia na conversa da desvalorização da moeda em relação ao real. Muitas vezes, destinos com moedas desvalorizadas podem sair mais caros devido ao fator inflação. O negócio é procurar saber antes os atrativos e quanto custam os gastos diários nos locais de interesse. Um caso aqui na América do Sul mesmo: explorar belezas naturais no Chile pode sair significativamente mais pesado que fazer isso na Bolívia.

Para quem não sabe por onde começar, aqui tá uma boa tacada inicial: dá uma fuçada em sites como o Quanto Custa Viajar para ter uma pequena noção dos custos em vários destinos ao redor do mundo.

Agora, se você quer muito mesmo ir para determinado lugar, não leve essa regra tão ao pé da letra. Prefira ser feliz que ficar frustrado, não é mesmo? Siga lendo as próximas dicas que elas podem te ajudar a realizar o seu sonho de um jeito mais em conta. 😉

#2 Viaje na baixa temporada

Optar pela viagem na baixa temporada garante preços melhores e maiores oportunidades de negociação, já que, em épocas de menor procura, o poder da barganha fica nas mãos do hóspede. Outra coisa que acho bem bacana na hora de considerar o período: você tem a chance de aproveitar melhor os lugares, sem aquela superlotação.

Hospedagem - Calendário

A baixa temporada é sempre uma opção

A alta temporada coincide com os feriados, férias escolares (no verão e aquela semaninha de inverno), Natal e Ano Novo. O que acaba “restando” são épocas que normalmente são super agradáveis para viajar: o outono e a primavera. Mas, como isso não é regra, pesquise sobre a baixa temporada no destino do seu interesse. Algumas vezes, ela pode significar chuvas e furacões, não valendo a pena o risco, né?

Outro quesito importante é a flexibilidade nas datas de interesse. Ela vai te permitir escolher vôos, roteiros e estadias mais em conta.

#3 Passe mais tempo nos destinos

Estadias mais longas garantem uma maior facilidade de negociação de hospedagem. Além disso, elas te permitem conhecer o lugar de verdade e não apenas passar por ele. Se alguém fala que passou 2 dias no Rio de Janeiro, você acredita que essa pessoa conheceu mesmo a cidade? Eu não acreditaria.

Passar tempo no lugar te permite descobrir coisas que ficariam despercebidas para quem só está a fim de fazer check point. Nada contra! Mas, vale muito curtir a sua viagem e colecionar histórias fora do padrão.

Hospedagem - Destinos

Andar é muito mais agradável que correr pelos destinos

Além disso, os deslocamentos entre cidades ou até países, mesmo que na Europa, onde todo mundo fala que tudo é integradinho, pode pesar bem mais no orçamento. Não tenha pressa de conhecer tudo de uma vez, curta o seu destino e tire o máximo dele, porque pior é aquele arrependimento de ver depois que podia ter aproveitado mais, conhecido outras partes legais de um mesmo lugar e ficar naquela pretensão de voltar sabe-se lá quando.

Não tenha pressa, o mundo vai continuar à sua disposição. 😉

#4 Explore alternativas ao hotel

O hotel, quase sempre, acaba sendo a opção mais cara de hospedagem e não é a única alternativa, especialmente para quem quer economizar. Para viagens mais curtinhas, esse peso não é tão sentido, mas quando a gente quer passar mais tempo fora de casa, começa a fazer uma diferença no orçamento.

Para quem consegue abrir mão do frigobar, da camareira arrumando o quarto todo dia e o café da manhã farto e tão variado que não dá para experimentar tudo num dia só, existem várias opções bacanas que, nem sempre, envolvem deixar o conforto de lado.

Uma ideia que não vai mudar muito o seu estilo de vida é o aluguel de um apartamento ou casa de temporada. Existem várias opções na web para isso. Algumas delas, por exemplo, são Booking, com as suas versões de apartamentos, e o Airbnb, que ainda te dá a opção de alugar apenas um quarto na casa de alguém (e sai mais barato ainda!).

Mas lembre que, nesse caso, as mesmas preocupações que tem em casa vão valer. Desde a comida do café da manhã até o papel higiênico do banheiro. Tudo é responsabilidade sua. E, mais: frequentemente cobra-se uma taxa de limpeza do apartamento na saída, para que tudo seja deixado como você recebeu. Leia as letras miúdas e saiba as regras do jogo.

|Nesse vídeo tem um exemplo de apartamento que a gente alugou em Santiago pelo Booking.|

Outras opções mais em conta ainda são as Bed and Breakfast (B&B – nome que usam no exterior para as pousadas) e os hostels. E não me venha com preconceitos! Hostels, por exemplo, não tem só aqueles quartos compartilhados. Em vários deles, pagando um pouco a mais, porém ainda assim menos que num quarto de hotel, você pode ter seu quarto privativo e até banheiro também. Sites como o Hostel World costumam ajudar. O próprio Booking tem suas opções de B&B e alojamentos.

|A guest house que ficamos no Rio de Janeiro.|

Hotel no Rio de Janeiro - Suíte

Nosso quarto no Solar do Cosme, a guest house que ficamos no Rio de Janeiro

Se quiser ainda, passar uma temporada longa em algum destino, experimentar a vida de um local e se hospedar de graça, dá uma olhada no WorldPackers. Tem muita gente oferecendo hospedagem em troca de serviços em várias áreas. Nesse caso, você não pode estar só a fim da economia, mas também tem que ter interesse na experiência. Vai que essa é a sua praia?

O CouchSurfing também tá vindo com outra possibilidade para quem procura estadia gratuita e também conhecer outras pessoas (tem que ser as duas coisas ou nada!). Nele, pessoas ao redor do mundo abrem as portas das suas casas para receber viajantes. Por conta disso, quem se hospeda tem que aceitar as regras da casa e se adaptar a intimidade de um alguém que não conhece. Parece louco, mas a ideia é conhecer gente nova e explorar a cidade com a ajuda de quem vive por lá.

Enfim, a dica aqui é que experimente e veja o que te deixa mais a vontade. Não é porque todo mundo faz de um jeito que esse vai ser o certo para você, mas tente alternativas que se encaixem com o seu estilo de vida. Mantenha a mente aberta e, ao mesmo tempo, consciente do que achar que for bom para você.

#5 Pesquise e reserve com antecedência

Já dizia minha avó: tudo o que é bom, dura pouco. Parece pessimista, mas não é bem assim. A antecedência na procura da hospedagem vai te permitir uma variedade maior de opções e, entre elas, provavelmente, as mais vantajosas. Isso porque o que é bom, acaba sendo reservado e esgotando primeiro.

Além disso, a lei da oferta e da procura acaba sendo cruel. Quando o número de quartos vão diminuindo, muitos estabelecimentos aumentam os preços. E aí, você que chegou mais tarde, acaba pagando mais caro por um quarto que seria bem mais em conta se tivesse reservado antes.

Hospedagem - Pesquise

Pesquisa e antecedência são duas coisas importantes para quem quer economizar na hospedagem

E mais uma coisita: pesquise. Veja as fotos, as condições e o que dizem as pessoas que já passaram pelos lugares que te interessarem. Geralmente, quando a maioria concorda, desconfie de que seja verdade. 😉

#6 Fique atento à localização

Outro ponto importante é ver sempre a localização de onde se pretende ficar. Estadias muito abaixo da média podem ser sinônimo de grandes distâncias para as atrações turísticas. Ou seja, se for ficar numa acomodação barata, mas distante de tudo o que você quer visitar, toda a sua economia por ir pro ralo só nos translados.

Prefira os lugares mais centrais e/ou com fácil acesso às atrações, assim, fica menos cansativo e, muitas vezes, mais econômico. Além disso, se ligue no que tem nos arredores: restaurantes, mercados, farmácias e padarias, são boas coisas para se ter na vizinhança.

Hospedagem - Distância

Se ligue na localização, que ela vai fazer diferença

Antes de fechar com qualquer hospedagem, observe esses 6 passos, sem neuras, afinal, o que é mais importante nisso tudo é a experiência que você vai levar para a vida. 😉

dayanalole Administrator

Apaixonada pela vida, tenta viver a expressão "carpe diem". Acredita que cada viagem é um meio de aprender mais sobre a humanidade e o seu próprio eu, por isso ama pôr o pé na estrada. Gosta de contribuir para que outras pessoas tenham experiências cada vez melhores de viagem, por isso quando sabe que um amigo vai viajar, já vem com sua listinha de dicas. A melhor viagem? É sempre a do momento.

1 comentário

  • Amanda Saviano
    Postado em 19/12/2016 em 11:02 Responder

    Post de utilidade pública! Amei!

Deixe um comentário

© Copyright 2014-2017 Lolepocket. Todos os Direitos Reservados.